Canário

Lá em cima daquela serra,
Tem um canário cinzento,
Ele canta todo dia,
É o meu divertimento

Mandei comprar uma gaiola,
Botei o canário dentro,
Ao cabo de poucos dias,
Canário caiu doente

Mandei chamar o doutor,
Com a maleta na mão,
Pra dar uma injeção,
Na veia do coração

Na primeira ou na segunda,
Na terceira, estremeceu,
Na quarta, abriu o bico,
Na quinta, ele morreu

Canário, se eu pudesse,
Com toda dedicação,
Cavava a tua cova,
Dentro do meu coração

Mandei fazer o enterro,
Com pompas e muito luxo,
Veio a gata da vizinha,
Passou o canarim no bucho.