Música instrumental ajuda a manter concentração no trabalho

Ouvir música no trabalho tem impacto positivo na produtividade? De acordo com 78% dos participantes de um levantamento da empresa de streaming Cloud Cover Music, a resposta é sim.

Em matéria do jornalista Bruno Lee, publicada na Folha de São Paulo, especialistas apontaram a música instrumental (do jazz ao erudito) como uma boa opção para se ouvir no trabalho. Segundo Luciano Melo, médico neurologista e colunista da Folha, pesquisas indicam que “as trilhas instrumentais, especialmente as mais calmas, tendem a reforçar a atenção das pessoas”.

E as músicas com vocal? De acordo com Melo, “já faixas com vocal tendem a aumentar a introspecção e podem ser distrativas”, diz. Isso acontece por causa do conteúdo verbal. “Há uma competição pela atenção”, afirma Patrícia Vanzella, coordenadora do projeto Neurociência e Música na UFABC (Universidade Federal do ABC).

A matéria aponta que “quando o foco é ganho de produtividade há características a evitar mesmo na música instrumental. Muitas flutuações de intensidade, por exemplo, também podem distrair. O mesmo vale para ritmos agitados, que estimulam a parte motora, da dança.”

Dada as características individuais de cada um, a música instrumental pode não ser a melhor opção para todos, mas certamente é uma boa candidata a melhor gênero para se obter ganho de produtividade. Em musicoterapia, há o conceito de identidade sonora individual. “Todos nós, assim como temos uma história clínica, temos uma história sonora”, explica Juliana Duarte Carvalho, musicista, psicóloga clínica e musicoterapeuta do Hospital Sírio-Libanês.