Artigo

Aulas de piano para o aluno adulto iniciante

por Adriana Moraes | Ago – Set 2019

Adultos têm procurado desenvolver diversas habilidades e conhecimentos nos inúmeros contextos de educação, entre eles os de ensino e aprendizagem de música, em específico no instrumento piano. Essa realidade apresenta desafios para o aluno, para as práticas docentes, bem como para os espaços de ensino de música que atuam com alunos adultos.

A habilidade motora e a compreensão da grafia musical relacionada à leitura de partitura são alguns dos aspectos com os quais o aluno adulto irá se deparar diante do estudo do piano. Nesse processo, ressalta-se, ainda, a importância da motivação que instiga o aluno a iniciar e seguir com os seus estudos.  A respeito da motivação, José Alberto Kaplan, que foi pianista e atuou na docência do piano por mais de 30 anos, em seu livro Teoria da aprendizagem pianística: uma abordagem psicológica (2008), ressalta que qualquer tipo de aprendizagem, seja ela motora, de compreensão de conceitos, entre outras, somente se realiza através das atividades do aluno, “que precisa de motivos para levá-los a cabo”. Quanto ao aluno adulto, a motivação, geralmente, já o acompanha, pois é um perfil de aluno que vem motivado e, por iniciativa própria, procura por aulas.

Além da habilidade motora, a leitura da partitura e a importância da motivação na aprendizagem do instrumento, outro aspecto importante nesse contexto é a escolha de materiais didáticos (métodos e repertórios) por parte do docente. Tal escolha pode motivar o aluno ou levá-lo ao desânimo. E o que se verifica é que muitos professores ainda recorrem aos materiais impressos voltados para o público infantil. Tratando-se de adultos, estes se relacionam com a aprendizagem, obviamente, de modo diferente em comparação à criança. Os métodos infantis não são viáveis para o adulto e, a respeito disso, o professor José Júlio Stateri, em seu livro Reflexões sobre o ensino do piano para adultos e adolescentes (1996), ressalta que esses materiais não são adequados apenas pela predominância de textos e figuras voltadas ao universo infantil, mas pelo grau de dosagem de dificuldades propostas.

Ministrar aulas para esse público implica compreender as suas razões para com o estudo do piano e apresentar os conteúdos próprios da aprendizagem e da prática desse instrumento.

Apesar da pequena quantidade de materiais didáticos nacionais de iniciação ao piano para o aluno adulto, o que sugere a necessidade de publicações específicas, muitos dos materiais para adultos iniciantes estão disponíveis em publicações estrangeiras e podem abarcar várias atividades musicais em um único material (All-In-One).

Junto à escolha e à utilização dos materiais didáticos para adultos iniciantes de piano, soma-se a presença de atividades como criar, improvisar ou tocar “de ouvido” no instrumento. Vários materiais de iniciação ao piano para adultos já contêm sugestões para as práticas de criação, entre eles, Adult Piano Method – Book 1 (2005), da Hal Leonard, e Adult Piano Adventures  – Book 1 (2009), da Faber. Esses materiais apresentam o acompanhamento para o professor e sugestões para o aluno improvisar, criar uma melodia ou apenas explorar determinada região do teclado. Tais práticas, sem a leitura da partitura, podem ocorrer nas teclas pretas ou brancas. São propostas interessantes que favorecem o fazer musical.

Outro material interessante com sugestões criativas é o Pattern Play 1: Inspiring Creativity at the Piano (2010), de Akiko e Forrest Kinney. Utilizando apenas a fundamental e a quinta do acorde, por exemplo, o professor realiza um acompanhamento para que o aluno improvise nas teclas pretas. Vale a mudança de andamento, dinâmica, caráter, ritmo, entre outros:

Fig 01. Acompanhamento do professor. Pattern Play 1: Inspiring Creativity at the Piano

O aluno também poderá  desempenhar o acompanhamento na mão esquerda e criar algo com a mão direita:

Figura 02. Acompanhamento do aluno. Pattern Play 1: Inspiring Creativity at the Piano

Essas atividades, por sua vez, podem se apresentar como tarefas difíceis para quem está iniciando; no entanto, as experiências do docente com essa prática e o modo criativo de como as atividades serão abordadas nas aulas poderá levar o aluno adulto a vivenciar momentos inerentes ao fazer musical.

Ministrar aulas para esse público implica compreender as suas razões para com o estudo do piano e apresentar os conteúdos próprios da aprendizagem e da prática desse instrumento, considerando os modos de apreensão de conhecimentos, experiências e particularidades de quem se encontra nesse momento da vida.

Por fim, quando alguém pergunta se é possível aprender a tocar piano na fase adulta, a resposta sempre será essa: sim, nunca é tarde para começar a tocar piano!


Adriana Moraes é Licenciada e Mestre em música pela Universidade de São Paulo (USP-SP), atua no ensino de piano para alunos em diferentes faixas etárias. Criadora do blog PianoLar.


09 | Educador Musical